quarta-feira, 26 de outubro de 2016

[Resenha] A vila do silêncio e outros absurdos - Leandro Coelho

Descontrolados,

         Hoje trago para vocês uma obra que me fez sair um pouco da minha zona de conforto por se tratar de um livro composto por contos. Não sou muito fã desse tipo de leitura, pois acho que tudo se desenvolve muito rápido e gosto de acompanhar os personagens por muito tempo, quanto mais puder prolongar com aquelas sagas imensas, mais eu gosto. Porém, me surpreendi bastante com esse livro que foi gentilmente cedido pelo autor parceiro Leandro Coelho e isso foi muito positivo. Vamos lá então!!


Título: A vila do silêncio e outros absurdos
Autor: Leandro Coelho
Gênero: Ficção/Romance
Páginas: 336
Sinopse: Uma vila esquecida nas densas florestas siberianas, cujos habitantes mantém uma intrigante filosofia de vida, recebe a visita de um misterioso forasteiro.
Um jovem poeta se vê às voltas com uma angustiante escolha, adentrando numa torturante viagem através de um mar de dúvidas.
Um inocente retirante parte em busca de seus sonhos, mas os vê destroçados por uma trama de mentiras.
Uma idosa solitária em conflito descobre a verdade cruel que se esconde por detrás de suas ilusões;
Um comilão compulsivo percebe, horrorizado, que uma paixão desenfreada pode tornar-se o pior de seus pesadelos.
Um jovem mochileiro vê sua viagem dos sonhos transformar-se num emaranhado de dramas e experiências reveladoras nos confins do território selvagem da Austrália, encontrando muito mais do que mortíferos animais...
Seis dramas diferentes. Seis destinos opostos, mas todos unidos pelo mesmo elemento: o inesperado. Adentre no surpreendente mundo da Vila do silêncio e outros absurdos.
          Bom, como vocês podem ter percebido pela sinopse, o livro é dividido em seis contos bem distintos entre eles, porém que nos fazem refletir sobre vários pontos. Vou falar um pouco sobre cada um deles.

1. A vila do silêncio: 

          O primeiro conto dá nome ao livro e tem como personagem Yuri, que larga seu antigo emprego e parte em busca de um novo lugar para tentar se redimir. Nessa jornada ele acaba se perdendo em meio a uma forte tempestade de neve e ficando inconsciente devido ao frio. Acorda em uma cabana aconchegante pertencente a Alina, quem o salvou e o levou com a ajuda de outros moradores para uma vila quase que intocada senão pelos moradores de lá.
          A vila à qual Yuri foi levado os moradores tem o hábito de se comunicarem apenas através da escrita e por isso tal nome. O personagem se questiona muito quanto aos motivos que levaram os moradores a tal prática e o ancião, após Yuri se acostumar com essa forma de comunicação, responde aos questionamentos levantados. Várias reviravoltas acontecem, sendo que Yuri e Alina acabam deixando a vila e ocasionando um final surpreendente.

"A fala arruína, ofusca nossas necessidades mentais mais imediatas e abre espaço para nossos desejos mais supérfluos, carregados de vaidade, egoísmo e pedantismo, sem mencionar nosso terrível impulso de vendeta na tentativa de retaliar as ofensas recebidas, o que nos impede a lançar mão de outros agravos tão horríveis quanto os que foram recebidos. Porém, quando aprendemos a "língua do silêncio", podemos controlar nossos pensamentos inúteis, conter nossos falsos ensejos, e o mais importante: alcançar o processo de reflexão preventiva de nossos atos."

2. Horas extraordinárias: 

          Segundo conto do livro nos mostra que, assim como há inocência, há também a malícia desumana. Aqui conhecemos o retirante Francisco, um rapaz simples que resolveu arriscar tudo e deixar o interior de Alagoas para tentar a vida no Rio de Janeiro. Ele ansiava vida melhor não só para si, mas para a mãezinha que teve que deixar para trás. Um dia desses, acabou ajudando Dr. Julius que era um importante advogado e que prometeu recompensá-lo. O advogado se encarregou de contratar Chiquinho como faxineiro e também como faz-tudo nas horas vagas.
          Para manter o tão sonhado emprego, Chiquinho é explorado e Dr. Julius se aproveita da ignorância de seu funcionário para tal fazendo várias promessas. Depois de um acontecimento repentino com o advogado, Chiquinho se vê iludido e descobre que trabalhou anos a fio sem sequer uma recompensa. Sem chão, se mete em problemas e nos emociona na forma de solucioná-los.


“Viu, doutô Julius? – disse o homem, falando com o vazio. - O sinhô guardô o meu banco, mas aqueles safados quiseru robá ele de mim. Eles disseru exatamente o que o sinhô falô que eles iam dizê, sem tirá nem pô. Mas eu sei que eles têm é inveja. Eles num eram extraordinário. Eu é que mereço tudo isso aqui. Eu é que trabalhei muita hora extraordinária por tudo isso, num foi?"

3. Títulos: 

         Terceiro conto do livro nos traz um  cenário distópico e futurístico em que temos como protagonista Christine. Nessa realidade, ela já é tida como idosa mesmo com seus trinta e oito anos. Se sente infeliz com o que possuí até agora e então resolve comprar título (papéis produzidos nos templos religiosos monetários que traduziam um estado de fato ou posse virtuais) de uma família presencial com direito a marido, um filho, uma filha e um cachorro. Pode ser escolhida a idade, personalidade, se terá envolvimento com drogas e Christine é quem planeja todas as ações que esta família irá fazer no decorrer de todos os dias que contratou o serviço. Achei bem interessante e inusitado.


"- Perfeito. Bem, chegou a hora das recomendações e detalhes finais: todos os dias, pela manhã, antes dos elementos presenciais chegarem, a senhora deixará as diretrizes diárias no tablet que vamos lhe fornecer. Ou seja, tudo que a senhora desejar que aconteça naquele exato dia. O elemento chega, lê suas opções e cumpre todo o determinado. Por exemplo, a senhora pode escolher uma briga por um motivo banal, uma discussão mais séria, ou determinar que o garoto esqueça um cigarro de maconha na gaveta. Isso gerará uma briga bem emocionante e vai preencher seu dia de forma muito prazerosa!"

4. A escolha: 

          No quarto conto podemos ver o tormento de Conrad pela escolha imposta por seu pai Brotuvius, homem que havia sido muito rico mas que agora já não gozava de alguns luxos e tinha como modelo duas profissões que achava dignas de respeito e prestígio: direito ou medicina. Para seu pai, com uma dessas profissões conseguiria perpetuar o nome da família e ainda arranjar um bom casamento. Conrad é um fanfarrão que nunca trabalhou e sonhava em viver da sua arte, fugindo dos sermões do pai até que recebeu um ultimato e foi trancado em seus aposentos e de lá não sairia até que resolvesse seguir um dos caminhos que agradaria seu pai. Conrad é visitado por dois espíritos, um de cada ofício, que o representam no futuro e isso esclarece a ele o que deve ser feito.


"A ideia de ter que escolher entre dois destinos dos quais jamais sonhara apertava suas tripas como uma jiboia em seu abraço da morte. Faltando-lhe o ar, seus pés ficaram pesados como chumbo."

5. Feijão com cachaça: 

          Quinto conto presente no livro, nos traz Genésio que é mais conhecido como Jambão. Esse apelido ele ganhou quando era pequeno e adorava ficar embaixo dos pés de jambo que ficavam na casa de sua tia e então o aumentativo por conta da grande quantidade de tecido adiposo que ele já apresentava. Ele é um comilão voraz conhecido na maioria dos bares e restaurantes e portava até um mapa de todos eles com instruções de como chegar e seus pratos. 
         Um dia Jambão começa a se sentir um pouco mal e estranhas coisas começam a acontecer: seu suor tem cheiro e gosto de cachaça, seu exame de sangue aponta que é feito de groselha, tossir jujubas e assim por diante. Ele vai ao médico para descobrir o que anda errado e acaba descobrindo ser portador de alguns problemas e que precisará ser submetido a uma cirurgia.


"Jambão ficou lívido como um cadáver. Na palma de sua mão aberta, estavam os três objetos estranhos que sentira expulsar de seus pulmões. Tinham o formato de pequenos obuses coloridos! E o pior: cobertos de açúcar. Isso mesmo. Eram três jujubas. Todas de cores diferentes. Uma verde, outra vermelha e uma terceira amarela – seu sabor predileto."

6. Meteoritos azuis: 

         Neste sexto e último conto conhecemos Bernardo, carioca que resolve mochilar pelo mundo para conhecer lugares e pessoas diferentes sem fazer muitos planos e seguindo a maré do acaso. Em determinado momento acaba sem dinheiro e desesperado por um emprego para poder continuar sobrevivendo. Acaba começando a trabalhar em uma fazenda na Austrália na colheita de abobrinhas e berinjela. Até se acostumar com o trabalho braçal, ele se desgasta bastante e fica muito solitário até que Ned, um conhecido de suas andanças e ex-mercenário começa a trabalhar com ele e a vida começa a lhe sorrir novamente com as tarefas ficando mais leves e então temos um acontecimento que mudará para sempre a vida de ambos quando Ned e outro trabalhador resolvem trocar de barraca para dormir.


"Depois do jantar, Bernardo e Ned geralmente cobriam o chão com a lona azul e ficavam deitados, de barriga para cima, fumando e conversando. As estrelas eram um show digno de se ver por horas a fio. O brasileiro jamais vira um céu com estrelas tão vivas, próximas. Poderia pegá-las com as mãos, se esticasse os braços. Outro fenômeno que jamais testemunhara de forma tão intensa, era o número de meteoritos que riscavam o céu escuro, deixando um rastro de luz azul. Alguns caíam tão perto que os dois amigos cogitavam em ir até os locais de impacto para escavá-los do chão."

          É muito difícil para mim dizer qual dos contos eu gostei mais, pois todos foram cativantes e apresentaram personagens bem construídos em enredos para lá de criativos com uma escrita fluida e todos eles nos fazem refletir sobre algum ponto da sociedade na qual vivemos ou em nossa relação com o próximo. 
          Porém, um que realmente me golpeou de maneira positiva e me fez refletir muito é A vila do silêncio, pois muitas vezes não medimos o peso de uma palavra e a catástrofe que ela pode gerar sem que possa ser reparados os estragos. Quero frisar que o autor diz no posfácio que os contos são de alguma forma autobiográficos de situações que vivenciou em suas viagens, claro que romanceados.
          Bom, a resenha foi meio extensa mas não podia fazê-la de forma diferente. Espero que tenham tido paciência de acompanhá-la e gostaria de saber se já se aventuraram nessa leitura e o que acharam? Conheciam o autor?


Bjux e até a próxima Descontrolados.

56 comentários:

  1. Olá
    Eu ainda não tinha conhecimento desse livro, mas parece ser interessante, pelo que pude perceber em seus comentários. Não sou muito de ler contos, mas não tenho dúvida de que esses são cativantes e realmente fiquei curiosa. Gostei de você ter falado um pouco sobre cada um deles, e é legal por haver reflexões, além das distinções já esperadas.
    Beijos, Fer - www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. I like your blog, its really dope.
    Do you want to follow each other?
    If you want, than follow me, and let me know in comments, so I can follow you back with pleasure.
    We can follow each other on Instagram @andjela.dujovic, let me know in the comments so I can follow you back.

    www.bekleveer.com
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Eu desconhecia essa obra e o autor. Parece ser um livro interessante, você teceu bons comentários. Eu gosto de ler contos, porém tem algum tempo que não o faço. Vou pesquisar mais sobre a obra!

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Não conhecia o autor e a obra. Mas pela sinopse e sua resenha, parecem contos bem interessantes.
    Dica anotada.
    Bj

    ResponderExcluir
  5. Oi, Michele!
    Ainda não conhecia o autor, nem o seu livro.
    É muito bom quando saímos da nossa zona de conforto e diversificamos a leitura. Títulos foi o conto que mais me chamou a atenção, pois gosto desse gênero de leitura!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Amo contos, mas não deste gênero, mas como estou me arriscando em coisas novas, acho que a ventura de ler seria interessante. Adorei o jeito que você falou dos contos separadamente. Parabéns!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Fico feliz que tenha saído da sua zona de conforto. O livro parece realmente interessante, mas eu, como você não tenho muito interesse em contos pq detesto ser abandonada muito cedo por personagens que eu simpatizo... rs... Gosto mt desse gênero e talvez dê uma chance um dia... quem sabe?

    Raissa Nantes

    ResponderExcluir
  8. Parece ser uma leitura interessante, mas não me atraiu o suficiente para me tirar da minha zona de conforto literaria. Infelizmente.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Eu gosto muito de ler contos, esse ano li vários livros de contos, acho que muitas histórias não precisam ter 400 pgs para serem bem contadas, não conhecia esse livro e fiquei bem curiosa principalmente com A Vila e o dos Feijões.

    ResponderExcluir
  10. Já ouvi falar desse livro e até hoje ainda não me surgiu a oportunidade de conferir. Um pouco é por preguiça de ir na livraria e conferir as novidades e outro motivo é que estou dando prioridade em leituras de parceria "e olha que tem coisa atrasada pra entregar".

    Mas ótima resenha.
    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem? Não tinha ouvido falar desse livro, mas super curti a dica. Adoro ler contos e esse livro se encaixa bem no meu estilo. Pena que tenho muitas leituras para finalizar, espero poder encaixa-lo e ler em breve. Bjs
    http://www.facesemlivros.com/

    ResponderExcluir
  12. Oiii Michele, tudo bem?
    Havia visto a sua postagem sobre a parceria com o autor e fiquei esperando a sua resenha, e você como sempre rápida acabei de ler e me encantei, gostei destes suspenses e a divisão da obra, super anotei.
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Hey, Michele!

    Apesar de você fazer uma ótima recomendação sobre o livro, não consegui me interessar. Eu não sou muito fã de contos, são raros os que eu leio, é difícil eu gostar.
    Desta vez deixo a dica passar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu já gosto muito de contos.
    E adorei a premissa desse livro desde os títulos.
    Excelente resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Michelle é muito bom quando lemos algo que sai da zona de conforto, foi assim que comecei a ter o hábito de ler vários gêneros e conhecer boas histórias. Ainda não conhecia Vila do silencio, mas fiquei curiosa para ler. Bjkas

    ResponderExcluir
  16. Olá.. não sou muito fã de contos também, pois sempre me apego aos personagens e quero saber mais sobre eles, mas fiquei curiosa com algumas histórias desse livro. Talvez seria interessante intercalar a leitura de um conto entre outros livros mais longos, ou quando estiver querendo sair de uma ressaca literária hahaha

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Também não costumo ler muitos livros de contos mas fiquei intrigada com esse pois me recordou muito o livro O Vilarejo do Raphael Montes, um livro de contos também que me agradou demais. Gostei principalmente da premissa do terceiro conto, Títulos, pois me pareceu muito desconcertante e fiquei curiosa pra saber o que acontece nele.
    Vou aceitar a sua dica e sair um pouco da minha zon de conforto com esse livro também.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  18. Oi, Michele!

    Amo contos, a capa tá linda e achei ele bem o meu estilo. Vou ler sim. Volto aqui para te dizer o que realmente achei!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Eu também tenho esse mesmo pensamento que você sobre livro de contos. Ainda não li nenhum, embora veja alguns interessantíssimos. Preciso dar o primeiro passo!!! Os que mais me interessaram foram o Horas Extraordinárias, por mexer, digamos assim, com a humanidade das pessoas, e também o Títulos, por trabalhar com esse clima distópico. Ambos possuem temas que chamam muito a minha atenção tanto em livros, quanto séries. Anotei a dica. Beijos!



    Participe do sorteio de O ERRO no Instagram: @ourbravenewblog
    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  20. Oie!
    Confesso que não gosto muito de contos, pois sempre sinto que fica a faltar algo nas histórias. Achei o volume bem interessante, e vou anotar essa dica para conferir.
    Bjks!
    histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  21. Contos não é muito o meu estilo mas achei bem intrigantes alguns fatos desse livro, quem sabe ele pode ser incluído na minha lista de leituras. Ótima resenha.

    http://www.vestigiodelivros.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Eu ainda não conhecia o livro e embora um ou dois contos tenham me chamado atenção, não é um livro que eu leria, não me interessei muito pela maioria dos contos e também não curti a capa. Mas é uma boa dica, eu que sou meio chata mesmo.

    ResponderExcluir
  23. Olá!
    Sabe que eu também não era muito fã de contos, mas de uns tempos para cá tenho lido bastante e agora, adoro! Tudo bem que tem uns que as poucas páginas deixam com gostinho de quero mais, mas no geral, me agradam bastante.
    Gostei muito da premissa de todos os contos, mas o que mais me chamou atenção foi A Vila do Silêncio.
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Eu sou como você... Prefiro histórias mais longas do que contos, até porque me incomodo menos quando a história fica um pouco arrastada do que quando ela fica corrida demais que é o que normalmente acontece nos contos.
    Bom saber que o livro te ganhou, e super interessante o que você comenta sobre as palavras... Acabei de resenha um livro onde tinha uma citação de que as palavras podem ferir e matar tanto quanto uma espada se souberem ser usadas.
    Fiquei curiosa com a obra :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  25. Olá, eu também não curto muito contos, acho tudo tão rápido e sinto que fica faltando algo sei lá... Sempre me decepciono, esse pelas suas impressões parece bem interessante, talvez eu leia quando estiver a fim de uma leitura rápida.bjs

    ResponderExcluir
  26. Olá!! :)

    Eu compreendo o quão difícil e escrever uma resenha acerca de um livro de contos... mas acho que fizeste muito bem! :) Adorei conhecer o livro, e não me deixaste menos curioso! :)

    Bem, adorei que todos os contos tenham sido cativantes para ti e que tenham conseguidos personagens bem construídas!! :) Isso e sempre ótimo, não e mesmo? :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  27. Oi Michele.

    Eu gosto de livros de contos e este ano consegui ler vários contos. Porém este eu ainda não conhecia. Apesar de três contos não ter chamado atenção eu vou adicionar o livro na minha lista porque fiquei curiosa pelos contos Títulos e Horas Extraordinárias.

    Bjos

    ResponderExcluir
  28. Olá,
    Adoro contos!
    Acho que de todos o mais interessante, lendo assim, é o meteoritos azuis (amei o nome também!). A vila do silêncio também parece bem interessante.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  29. Eu amei a premissa de títulos, achei muito interessante e acredito que daria um ótimo livro, né? Acho que apenas conto é pouco para uma trama dessas.
    Eu adoro contos, então fiquei interessada em conferir a obra toda. Ficou ótima sua resenha.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  30. Olá não conhecia a obra e já fiquei super interessada...

    Adoro contos e preciso conferir esse livro...quero pra ontem!

    Abraços e obrigada pela dica :)

    ResponderExcluir
  31. Olha, não sou fã de contos e por isso dificilmente leria o livro, mas esse Títulos chamou a minha atenção. Que coisa mais maluca comprar título de uma família presencial, rs, fiquei curiosa para conhecer a história.

    ResponderExcluir
  32. Olá,

    Não tive a oportunidade de conhecer o autor, nem sua obra, apesar da boa impressão que o livro te causou, não sou muito fã de contos. Acredito que para quem gosta, esse livro será uma boa dica, como não é meu caso, deixo a dica passar.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Olá Michele,
    Adoro contos e gostei muito da forma como você escreveu sua resenha, conto por conto.
    Acho que o conto que foi seu favorito também seria o meu, eu sempre falei para as pessoas do peso de uma palavra. Outro conto que chamou minha atenção foi Horas extraordinárias, acho essa questão da malícia desumana muito interessante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  34. Oi Michele, sua linda, tudo bem?
    Eu não costumo ler contos, não é o meu gênero de leitura. Mas percebi que todos eles trazem uma mensagem, uma lição no final. Engraçado você ter gostado mais do primeiro, ele não tinha chamado minha atenção, o que se destacou para mim foi o segundo, pois você se emocionou com a inocência dele e com a forma como ele resolveu os problemas. Mas depois do que você falou sobre a palavra, acho que também gostaria muito desse conto. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  35. Oiii, Mi. Tudo certinho?
    Mulher, eu tenho uma relação muito estranha com esse gênero hahahha
    Eu simplesmente amo contos. Mas não curto livros de contos. Dá para entender isso? hahahha, acho que não :3
    Adorei a capa desse livro e acho que assim como você, também iria curtir muito o conto que dá título ao livro. Realmente é algo a se pensar. Se pudéssemos refletir melhor sobre nossas palavras, poderíamos viver em maior harmonia.
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  36. Oi, assim como você não sou lá grande fã de contos, o autor precisa ser muito bom para me prender, o conto precisa ser muito envolvente. Não consegui encontrar ligação entre os contos, mas os achei bem interessante, principalmente Horas extraordinárias. Gostaria de ler para saber como essa história se desenvolve, antes mesmo de ler já torço pelo protagonista.

    ResponderExcluir
  37. Oi Michele, eu também adoro aquelas histórias longas, com vários volumes, para poder curtir bastante os personagens. Livros de contos não são muito a minha praia, mas de vez em quando, é bom sair do comodismo. A "vila do silêncio" e "a escolha" parecem ser legais. Quem sabe um dia eu também me aventuro com esse livro? Abraços, valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  38. Olá, tudo bom?
    Livros de conto também saem da minha zona de conforto, mas, assim como você disse, este livro apresenta seis contos muito distintos e isso chamou muito minha atenção. Fiquei muito curiosa com A vila do silêncio e os motivos que levaram os moradores a se comunicarem apenas através da escrita. Ver o quanto você gostou do livro só me deixou mais curiosa pela leitura. Parabéns pela resenha!
    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  39. Oie!!
    Nossa eu não sou acostumada a ler livros de contos e para falar a verdade acho que eles não fazem em nada o meu estilo.
    Mas gostei da sua resenha e tambémm achei interessante a história, não sei se eu o leria, mas obrigada pela dica.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  40. Oi, tudo bem? Eu ap contrário de você adoro livros de contos para intercalar com leituras mais extensas. Esse livro já chamou logo de cara minha atenção pela capa e título. Adorei conhecer mais sobre o enredo de alguns contos.
    Dica anotada.
    Bj

    ResponderExcluir
  41. Olá! Eu aprendi a gostar de contos e fiquei apaixonada. Gostei do estilo da capa e da premissa de cada conto, fiquei curiosa para ler, beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  42. Oi Michele.
    Eu não conhecia o autor e também não estou acostumada a ler contos. Mas gostei bastantes do último que li.
    Sua resenha fez com que eu me interessasse pelo livro, principalmente pelo fato de que o autor escreveu com base em fatos que aconteceram em suas viagens. Estou escrevendo algo mais ou menos parecido.
    Vou conferir.

    ResponderExcluir
  43. Tirando A Vila do Silêncio, que é o conto mais interessante dos seis, e que foi aquele que mais me interessou por conta de seu fundo mais peculiar, os demais achei um tanto estranhos e não gostei, não sei se leria o livro, mas se A Vila do Silêncio fosse vendido separadamente por exemplo, na Amazon, com certeza seria um conto que eu adoraria comprar, os demais infelizmente não me atraíram.

    http://www.daimaginacaoaescrita.com/

    ResponderExcluir
  44. Estou em dúvida para dizer qual gostei mais. Todos parecem ótimos. E tão, tão diferentes do que a gente costuma ver por aí.
    Também não sou chegada muito em contos. Gosto do gênero, mas quase não leio.
    Mas esse livro me despertou um interesse fora do comum. Talvez porque as histórias apresentadas não sejam comuns.
    E agora aqui estou eu, totalmente curiosa para descobrir os segredos de cada conto.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  45. Oi, flor.

    Eu também não gosto muito de livros com contos, pois tudo se desenvolve muito rápido mesmo. Daí a gente fica querendo mais da história e não tem kkkkkkk Eu estou lendo um livro de 5 contos e estou a dois meses empacada nele.
    Gostei bastante da premissa dos contos e quem sabe eu não leia mais p frente? Fico feliz q vc tenha gostado dos contos.

    Beijos!
    Respire Literatura

    ResponderExcluir
  46. Nossa! Amei ❤
    Quero ler com certeza!!!

    ResponderExcluir
  47. oie, eu não conhecia o autor e é a primeira vez que ouço falar do seu livro adorei a temática dos enredos principalmente os que trazem como cenário o brasil. Pelas histórias que você contou a que me chamou atenção foi do xiquinho que tinha um sonho e foi enganado pelo advogado. Espero ter a oportunidade de ler.

    ResponderExcluir
  48. Hello Dear,
    Adorei a resenha e fiquei bem curiosa para conhecer o livro, por causa de dois contos que me chamaram bastante atenção. O conto Títulos me instigou a ler livros relacionados ao gênero e o conto Meteoritos Azuis me fez refletir um pouco sobre cada personagem e sobre o cenário criado para ele. O enredo de cada conto foi muito bem criado e os personagens de cada um foi muito bem descrito. Vou procurar pela obra do autor e ler, assim que possível.

    Não conhecia o autor, e fico feliz que você tenha gostado dele. E o do autor ter cedido a sua obra para resenha ♥

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  49. Eu li a sinopse e fiquei imaginando no que os personagens estariam ligados rsrsrs depois que vi que se tratava de contos, ai meu kkkk Enfim, achei muito interessante a premissa do livro e essa capa ficou linda, eu realmente leria e com a sua resenha bem escrita só me deu vontade ler mais; Adorei!

    ResponderExcluir
  50. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  51. Oiii

    O único formato de contos que gosto, são aqueles que quando juntos se interligam. Achei bem legal a premissa deles e mostram que os personagens são bem cativantes. Enfim, mesmo não curtindo muito estórias tão curtas, acho que seria bem bacana de se conferir.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  52. Olá, tudo bem?
    Confesso que fiquei curiosa com esse livro e já coloquei ele na minha lista de futuras leituras.
    Gosto de contos e sempre que tenho oportunidade eu acabo lendo um.
    Gostei da sua resenha.

    Abraços

    http://www.viciadosemleitura.blog.br/

    ResponderExcluir
  53. Olá, tudo bem?

    Eu curto muito livros de contos. E não conhecia este, mas gostei muito da premissa. O bom de contos, que se você não curte muito um, tem outro para te conquistar. Anotei a dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  54. Entendi a questão do nome do livro e realmente muitas vezes é melhor mantermos o silêncio, mas eu não curto muito contos e por isso nem chego perto de livros deste tipo porque curto leituras mais longas sabe, pelo menos por enquanto neste nível!

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  55. Oi! Não conhecia o livro e sou super fã de contos. Achei uma ótima dica ^^ Adoro coisas rapidinhas de ler haha e, pelos seus comentários, o autor parece ter se saído muito bem :D

    bjs - Papierllon

    ResponderExcluir
  56. Eu gosto muito de livros de contos mas não sei se leria esse, acho que alguns dos contos me incomodariam mas outros eu já gostaria

    ResponderExcluir